Manifesto do coletivo Pó de Poesia

O Poder da Poesia contra qualquer tipo de opressão
Que a Expressão Emocional vença.
E que o dia a dia seja uma grande possibilidade poética...
Se nascemos do pó, se ao morrer voltaremos do pó
Então queremos Renascer do pó da poesia
Queremos a beleza e a juventude do pó da poesia.
A poesia é pólvora. Explode!
O pó mágico da poesia transcende o senso comum.
Leva-nos para um outro mundo de criatividade, imaginação.
Para o desconhecido; o inatingível mundo das transgressões do amor
E da insondável vida...
Nosso tempo é o pó da ampulheta. Fugaz.
Como a palavra que escapa para formar o verso
O despretensioso verso...
Queremos desengavetar e sacudir o pó que esconde o poema...
Queremos o Pó da Poesia em todas as linguagens da Arte e da Cultura.
O Pó que cura.
Queremos ressignificar a palavra Pó.
O pó da metáfora da poesia.
A poesia em todos os poros.
A poesia na veia.


Creia.


A poesia pode.


(Ivone Landim)



sábado, 22 de maio de 2010




Os evangelhos
são quatro...
O Poder
assim os definiu:
Glória
ao Pai
ao Filho
e ao Espírito Santo...
E é claro
ao mistérios da vida
que ninguém
descobrirá.

Jorge Medeiros
(11-01-09)

2 comentários:

ventosnaprimavera disse...

Parabéns pela poesia Jorge, é sempre um prazer ler você aqui no blog.Arnoldo Pimentel

Banca dos B-Boyzz disse...

Salve povo lindo, povo bom de poesia, povo pode poesia!
Estar convocês comoveu este Poeta, que rima espaço como meta, que solta palavras soltas na BF em meta-código, construção e protótipo, povo ótimo de todas suas esquimas, ruas-misturas de aruanda, numas de Pode Poesia ao mostrar o lado A do Cine B do CC Donana, lugar craques da copa humana, lugar de frases sacras e textos de bambas, Piam? hã? - poesia é a chama!
1 braço
Poeta Xandu