Manifesto do coletivo Pó de Poesia

O Poder da Poesia contra qualquer tipo de opressão
Que a Expressão Emocional vença.
E que o dia a dia seja uma grande possibilidade poética...
Se nascemos do pó, se ao morrer voltaremos do pó
Então queremos Renascer do pó da poesia
Queremos a beleza e a juventude do pó da poesia.
A poesia é pólvora. Explode!
O pó mágico da poesia transcende o senso comum.
Leva-nos para um outro mundo de criatividade, imaginação.
Para o desconhecido; o inatingível mundo das transgressões do amor
E da insondável vida...
Nosso tempo é o pó da ampulheta. Fugaz.
Como a palavra que escapa para formar o verso
O despretensioso verso...
Queremos desengavetar e sacudir o pó que esconde o poema...
Queremos o Pó da Poesia em todas as linguagens da Arte e da Cultura.
O Pó que cura.
Queremos ressignificar a palavra Pó.
O pó da metáfora da poesia.
A poesia em todos os poros.
A poesia na veia.


Creia.


A poesia pode.


(Ivone Landim)



quinta-feira, 10 de junho de 2010

Viver assim, eu não quero...



Agora veja,
se tem como viver nesse pobreza,
pobreza de espírito
de um ser desunido.

Ser covarde e viver na tempestade
e mal poder
falar a verdade.

Ser comodista
em um mundo
de golpistas
que só querem
a maldade.

Ser brasileiro
sem qualquer dignidade
sem valor da humanidade
que só quer ganhar vantagem.

Ser falso e dançar
conforme a música,
a musica da mentira
desse povo embaraçado
que vive a vida no interesse
se passando por bonzinho
se fingindo bom vizinho.

Ser vaselina
e não ter nem
mesmo a rima
de opinar o que
não desce,
o que engorda
e emagrece.

Ser invejoso
e cobiçar o do vizinho
porque o dele
é bonitinho
e o seu é engraçadinho.

Ser coca-cola
e viver só na pressão,
sem querer dar o seu gás
pra ganhar seu um milhão.

Ter preconceito
nesse mundo colorido
de pessoas de todos os tipos
que só querem o carnaval.

Ser puxa saco
dos otários que se acham
e não tem nada no saco
pra fazer e acontecer.

Ser pessimista
não acreditar na sorte
conformar-se com a descida
e crer que a vida está perdida.
Acaba não tendo a paz prometida.

Ganancioso
querendo sempre mais
que os outros,
se amanhã o que se tem
pode desaparecer.

Ser egoísta
e querer só para si
o que Deus
mandou dividir.

Pessoa fria
que vive em nostalgia
de uma vida calculista
sem dar ou receber.

Viver assim, eu não quero!
Quero ser sincera doa a quem doer.
Se eu não gosto, não preciso conviver
sem meio-termo pra poder aparecer...
Ser aprendiz e viver sem cicatriz.

Camila Senna

3 comentários:

Maria disse...

Amigo, excelente poema.

"Poesia é quando uma emoção encontra seu pensamento e o pensamento encontra palavras." (Robert Frost)

Aproveito para desejar um excelente fim-de-semana.
Bjs do tamanho do infinito
Maria

Arnoldo Pimentel disse...

Sua poesia está cada vez melhor, e você viu, eu e Márcio já discordamos, para mim você é a Clarice e para ele a Cecília do po-de-poesia, mas na verdade você é bem mais, é Camila, poetisa que veio para enriquecer ainda mais o po-de-poesia, somar com esses poetas e poetisas maravilhosos que passeiam por aqui.Parabéns

Goodkat disse...

Me emocionei com essa.