Manifesto do coletivo Pó de Poesia

O Poder da Poesia contra qualquer tipo de opressão
Que a Expressão Emocional vença.
E que o dia a dia seja uma grande possibilidade poética...
Se nascemos do pó, se ao morrer voltaremos do pó
Então queremos Renascer do pó da poesia
Queremos a beleza e a juventude do pó da poesia.
A poesia é pólvora. Explode!
O pó mágico da poesia transcende o senso comum.
Leva-nos para um outro mundo de criatividade, imaginação.
Para o desconhecido; o inatingível mundo das transgressões do amor
E da insondável vida...
Nosso tempo é o pó da ampulheta. Fugaz.
Como a palavra que escapa para formar o verso
O despretensioso verso...
Queremos desengavetar e sacudir o pó que esconde o poema...
Queremos o Pó da Poesia em todas as linguagens da Arte e da Cultura.
O Pó que cura.
Queremos ressignificar a palavra Pó.
O pó da metáfora da poesia.
A poesia em todos os poros.
A poesia na veia.


Creia.


A poesia pode.


(Ivone Landim)



domingo, 5 de dezembro de 2010

Trocadilhos

A gambiarra me iluminou
uma nova aurora
que me apresentou
aos olhos
novas imagens
que jamais serão
turvas
as poeiras sacudidas
por veículos
e vendavais
faz sentido e barulho
na dança
e no canto
do solitário pataxó.
E me recordo
e me amplio
na poesia que veio do pó
e ao pó me levará.


Jorge Medeiros

3 comentários:

vidaslife disse...

É, que poema sincero e verdadeiro,para quem gosta sempre de colocar no papel suas idéias e pensamentos, é bom relembrar momentos, e retornar ao pó, como tu dizes, lindas palavras amigo, tenha uma linda semana. Beijos.

Arnoldo Pimentel disse...

Gambiarra, po-de-poesia e Pataxó sempre estarão presentes em nossas vidas e em nossa poesia.Parabéns pelo poema.

Sergio-SalleS-oigerS disse...

Cara há uma troca de corrente elétrica mas sem fechar curto-circuito. Salve Jorge!