Manifesto do coletivo Pó de Poesia

O Poder da Poesia contra qualquer tipo de opressão
Que a Expressão Emocional vença.
E que o dia a dia seja uma grande possibilidade poética...
Se nascemos do pó, se ao morrer voltaremos do pó
Então queremos Renascer do pó da poesia
Queremos a beleza e a juventude do pó da poesia.
A poesia é pólvora. Explode!
O pó mágico da poesia transcende o senso comum.
Leva-nos para um outro mundo de criatividade, imaginação.
Para o desconhecido; o inatingível mundo das transgressões do amor
E da insondável vida...
Nosso tempo é o pó da ampulheta. Fugaz.
Como a palavra que escapa para formar o verso
O despretensioso verso...
Queremos desengavetar e sacudir o pó que esconde o poema...
Queremos o Pó da Poesia em todas as linguagens da Arte e da Cultura.
O Pó que cura.
Queremos ressignificar a palavra Pó.
O pó da metáfora da poesia.
A poesia em todos os poros.
A poesia na veia.


Creia.


A poesia pode.


(Ivone Landim)



domingo, 6 de março de 2011

Alpinistas suburbanos

Grafites Rupestres

No alto do prédio
De ponta cabeça
Segurado pelos pés
Por um amigo de mil anos
Quase irmão
O pichador deixa
Seu rastro
Sua pegada
Seu picho
Sua marca
Eu estive aqui

A necessidade de andar em bando
A gíria
O palavrão
O chiste
Analfabeto Funcional
Proletário lumpen
Office-boy no centro da Capital
Dá um duro
E vive duro

Urbanóide periférico
Juventude invisível
Sociedade anônima

Subcultura
A arte das ruas
O risco e o rabisco
Único meio de atingir o topo

O céu não é o limite
O céu não tem limites
No alto do prédio

Poema de Andri Carvão

3 comentários:

Avelino do Nascimento disse...

Gostei. Fui pichador quando jovem. Você colocou bem a questão...

Andri Carvão disse...

Eu também, Avelino! Depois virei grafiteiro, depois artista-plástico, depois troquei o pincel pela pena. E amanhã, o quê virá por aí? O mundo gira, o tempo passa e nós estamos nesse redemoinho, em eterna mutação! Valeu! Um grande abraço!

Andri Carvão disse...

Lembrei de outro poemeu abordando o mesmo tema:
http://www.portalliteral.com.br/banco/texto/latin-tupiniquim

Grande Abraço!