Manifesto do coletivo Pó de Poesia

O Poder da Poesia contra qualquer tipo de opressão
Que a Expressão Emocional vença.
E que o dia a dia seja uma grande possibilidade poética...
Se nascemos do pó, se ao morrer voltaremos do pó
Então queremos Renascer do pó da poesia
Queremos a beleza e a juventude do pó da poesia.
A poesia é pólvora. Explode!
O pó mágico da poesia transcende o senso comum.
Leva-nos para um outro mundo de criatividade, imaginação.
Para o desconhecido; o inatingível mundo das transgressões do amor
E da insondável vida...
Nosso tempo é o pó da ampulheta. Fugaz.
Como a palavra que escapa para formar o verso
O despretensioso verso...
Queremos desengavetar e sacudir o pó que esconde o poema...
Queremos o Pó da Poesia em todas as linguagens da Arte e da Cultura.
O Pó que cura.
Queremos ressignificar a palavra Pó.
O pó da metáfora da poesia.
A poesia em todos os poros.
A poesia na veia.


Creia.


A poesia pode.


(Ivone Landim)



sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

A AGONIA DE VIVER SEM PODER DESFRUTAR A VIDA

Antes que os raios risquem
e os trovões soem meu corpo,
me deixem tragar o último gole de whisky
e extasiar-me de prazer na última foda.
Banhar-me no doce sal do azul do mar.
Tocar pela última vez
os espinhos das flores campestres.
Admirar a negritude brilhante
da lua crescente.
Beijar as prostitutas
sentindo pela primeira e última vez, o amor.
Dar o último suspiro
no que me restou de vida.

(Sérgio Salles-Oigers)

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

Um comentário:

ventosnaprimavera disse...

Sabe Sergio, essa poesia traduz todo um sentimento que existe emoldurado entre nossas certezas e incertezas no nosso caminhar até que tudo se consuma.Parabéns pelo poeta e músico que é, e também pela pessoa exemplar e amiga que é.Tenho aprendido muito com você e com os outros do grupo, só tenho enriquecido como poeta e ser humano com a convivência entre voces.Arnoldo Pimentel